quarta-feira, 14 de setembro de 2011

e a xícara e a taça vaga da tua parada calada toalha vidro

e a xícara e a taça vaga da tua parada calada toalha vidro
ladrilho litro bule quente nu sobre o sombrio limbo
perfume aéreo de café discurso vozes horizonte cartas mas
objetos plenos em gozo integrados um nó um único nó da
não separação da não divisão do pão núcleo liso
novo
interseção de pontos não condicionados não nascidos

Rogel Samuel

Nenhum comentário: