quarta-feira, 1 de abril de 2009

foi numa noite de agosto














foi numa noite de agosto
que apareceu a tal lua
os lábios naquela água
o corpo dado aos amantes
amantes não sabem nada
que há tempos não se via
a gargalhada menina
da lua de rica rima
poetas que não se fiem
poetas nada sabem
que é até mesmo uma pena
que esta caneta tão prima
não seja feita mais fina
como ponta de punhal

2 comentários:

Manual do Inseguro.com disse...

Os amantes não sabem nada afora aquilo que sentem e o que se sente nem sempre se explica porque o sentir já é uma síntese, o resultado de tudo que se viu, provou, imaginou. Exatamente assim como sei apenas sentir o seu poema.

oadestradordesentimentos.blogs.sapo.pt

ROGEL SAMUEL disse...

ESTÃO SIM, AMIGA, OS AMANTES CONDENADOS À INSEGURANÇA, FELICIDADES, R. SAMUEL